bereta m9

bereta m9

A Verdadeira História da pistola Beretta M9.
 
Beretta M9
Por Tim Chandler

Beretta M9

Beretta M9


"Você não é um S.E.A.L. Até você ter comido siderúrgica italiana ... "Anonymous
Assim começa o conto sórdido do M9 que é freqüentemente repetida em lojas de armas e armas de fogo relacionadas com web-boards da nação mais. Qualquer pessoa que faz perguntas sobre a pistola Beretta M9/92 tempo suficiente, inevitavelmente, ouvir sobre como um bando de SEAL membros da equipe foram mortos / mutilados / deformado pela slides da quebra pistola M9 ao meio e voar de volta para o atirador, decapitando muitos homens corajosos. Ou talvez você vai ouvir sobre como os quadros na M9/92 pistolas pode quebrar como vidro se você atirar mais de 1.000 voltas por eles. Tenho certeza de que há alguém lá fora, culpando o Titanic em um M9/92 Beretta.
Como qualquer entusiasta de armas de fogo experiente sabe, rumores correr solta no mundo arma. Há modas mais bobo e rumores idiotas na cultura de armas do que há entre meninas pré-adolescentes. Às vezes, o touro flui tão livremente que um companheiro precisa de limícolas e um colete salva-vidas do quadril para não se afogar nele. Algumas histórias, no entanto, são verdadeiras ou ter pelo menos grãos ALGUNS da verdade para eles. O truque é ser capaz de percorrer as bobagens para encontrar a verdade. Com isto em mente, resolvi partir em busca da prova real do M9/92 histórias de horror que tantos recitar tão livremente.
A Saga Begins:
No início dos anos 1980, os militares começaram a procurar uma arma nova para substituir o inventário de mais de 25 pistolas e revólveres diferentes, então em serviço com os militares, e os mais de 100 tipos diferentes de munições para as armas brancas.O chefe entre o inventário de pistolas para ser substituído foi a arma 1.911 venerável ancião que tinha sido em serviço por 70 anos. De acordo com um relatório da Controladoria Geral (PLRD-82-42), de 3-8-82, os militares tinham 417.448 pistolas calibre 0,45 no estoque. O plano começou a correr para a oposição quando foi anunciado que a nova arma seria chambered no padrão NATO 9 milímetros cartucho.Muitos viram a mudança para um calibre menor como um passo na direção errada.Outros ainda questionaram a necessidade da adopção de uma nova pistola em tudo. De acordo com PLRD-82-42, o General Accounting Office realmente recomendado compra de mais 0,38 revólveres calibre ou converter o actual 1911 pistolas de 9 milímetros em volta do fogo como uma alternativa menos dispendiosa a adopção de uma nova arma.
O Exército, eventualmente, avançou e, em novembro de 1983 colocou um pedido formal de amostras de teste (FRTS) para vários fabricantes de armas no comercial os EUA e ao redor do mundo. Oito fabricantes apresentaram um grande amostra de 30 pistolas dentro do prazo de janeiro de 1984, e em agosto do mesmo ano, o teste foi concluído.(NSIAD-88-46) Dos oito fabricantes que apresentaram amostras de teste, 4 eram tecnicamente inaceitável e dois retiraram-se da competição. As duas empresas sobreviventes foram SACO (importação Sig-Sauer pistolas no momento) e Beretta.(NSIAD-88-46) Após um processo de licitação controverso (alguns alegam Beretta foi avisado sobre a candidatura SACO para que eles pudessem reduzir o custo por unidade de seu candidato por R $ 1,00 e ganhar o contrato) o Exército assinou um contrato com a Beretta para 315.930 pistolas Este número foi posteriormente aumentado para 321.260 pistolas. As pistolas novas que levam o nome militar de M9. (NSIAD-88-46)
Os problemas surgem:
O programa pistola M9 teve problemas quando, em setembro de 1987, o deslize de um modelo Beretta 92SB civis pistola fraturado na junção onde os companheiros de bloco de bloqueio no slide. A parte quebrada da lâmina voou de volta para o atirador (Um membro do Grupo de Guerra da Marinha Especial) ferindo-o. (NSIAD-88-213) Em janeiro e fevereiro de 1988, respectivamente, mais 2 pistolas M9 modelo militar exibiu o mesmo problema, ferindo mais 2 atiradores do Grupo de Guerra da Marinha Especial.
Todos os três atiradores sofreu lacerações faciais. Um sofreu um dente quebrado e os outros dois pontos necessários. (NSIAD-88-213)
O Exército estava fazendo testes barril independentes no atual modelo de produção de pistolas civis 92SB e pistolas M9 modelo militar e correu para o mesmo problema de slides separação. Eles dispararam três pistolas M9 10.000 vezes e inspecionou as armas com o processo MPI para a evidência de rachaduras slide. Eles descobriram que uma das armas tinha um slide rachado. O Exército decidiu, então, ao fogo todas as armas até que o slides falhou. Falha ocorreu em número redondo 23.310 em uma arma, 30.083 em outro, e 30.545 na última arma. (NSIAD-88-213)
Exame dos slides NSWG e os slides do Exército mostrou uma dureza metálica de baixo como a causa dos problemas com a separação de slides. O Exército, em seguida, começou a investigar o processo de produção dos slides. (NSIAD-88-213) Na época os quadros das pistolas M9 foram produzidos em os EUA, enquanto as lâminas foram produzidas na Itália. Há relatos documentos do Arsenal Picatinny que o relatório de um estudo metalúrgico culpando o uso de telúrio no processo de fabricação para a tenacidade do metal de baixo dos slides italiano, mas eu tenho sido incapaz de verificar esta informação de forma independente.
Depois de abril de 1988, no entanto, todos os slides para o M9/92 pistolas foram produzidos em os EUA. (NSIAD-88-213) Como parte das exigências do contrato, a Corporação Beretta teve que construir uma usina dentro dos Estados Unidos para produzir a M9. É naturalmente levou algum tempo para a planta EUA (localizado em Accokeek MD.) Para entrar em plena produção do balanço, de modo a fábrica italiana fez o slides por um tempo.
Vários relatos e depoimentos de GAO GAO equipe antes do Congresso Sub-Comitês (NSIAD-88-213, NSIAD-88-46, NSIAD-89-59 são alguns ...) o relatório do número total de falhas deslize aos 14 anos. Três ocorreram no campo com o NSWG e os outros 11 ocorreram no laboratório de teste. Apenas 3 lesões resultaram do problema de separação de slides. A Corporação Beretta mudou o design da pistola M9 modo que mesmo se um slide fraturado, a parte quebrada não poderia voltar e bater o atirador causando lesões.
Dos 14 separações deslize relatados, apenas 4 teve lugar na contagem de rodada em 10.000. (NSIAD-88-213) n º fraturas deslize mais foram relatados após a mudança para os slides EUA fabricados.
A Corporação Beretta inicialmente culpou as falhas de slides sobre o uso de munição.Eles questionaram tanto o uso de munição não-NATO eo uso de munição M882. Eles suspeitaram que os dois tipos de munição causado o acúmulo de pressão excessiva no interior da arma causando problemas tocando tambor durante os testes iniciais da arma M9 e as separações de slides experimentado pelos militares. O Exército determinou que o toque barril e separação de slides foram causadas pela dureza do metal baixo e não por qualquer nível de pressão específica na munição usada. (NSIAD-89-59)
Obtive a documentação de uma fonte confiável que demonstra que a munição M882 não foi excessivo em sua câmara de pressão. Assim, a explicação de problemas metalúrgicos em um número limitado de pistolas M9 continua a ser a única conclusão defensável.
Quadro-Up:
Outro problema que surgiu com a produção da pistola M9 foi um problema com rachaduras frame. Em dezembro de 1987 e janeiro de 1988 testes de rotina muito das pistolas M9 produção revelou rachaduras quadro que ocorrem na parte traseira da área de aperto do quadro acima, onde os passeios de bar gatilho. Os representantes do Exército determinou que as rachaduras não afectar a segurança, confiabilidade, ou a função das armas e estavam apenas "cosméticas na natureza." (NSIAD-88-213)
As rachaduras, no entanto, violou os termos do contrato M9, assim os lotes foram rejeitados. Beretta continuou produção em fevereiro e março de 1988, com os quadros afetados, estocando-los na esperança de um retrofit. Em abril de 1988 uma alteração de engenharia foi aprovado pelo Berretta e representantes do Exército que resolveu as questões de crack frame. Os lotes foram adaptados anteriormente rejeitado com o design novo quadro e testadas novamente. Os novos quadros não apresentam o problema rachaduras ou qualquer outro problema durante os testes e foram posteriormente aceito pelos militares. (NSIAD-88-213) Havia 24 mil pistolas afetados produzido com a moldura com defeito. Todos eles foram rejeitados e, em seguida, adaptados e aceito pelo Exército. (NSIAD-88-213)
A controvérsia Revista
Relatórios recentes do Afeganistão e do Iraque relataram menos de confiabilidade satisfatória com as pistolas M9 rastreáveis ​​para as revistas. Até muito recentemente, as revistas para a pistola M9 foram produzidos por Mec-Gar. Os militares decidiram ir com outro fornecedor, Checkmate, para suprir as revistas para a M9. Por todos os relatos que ouvi de campo, as revistas novas não são feitos tão bem e são extremamente sensíveis à sujeira e areia. Considerando que as tropas estão usando a M9 é em uma área do mundo que é povoado por pouco mais do que sujeira e areia, o que torna o uso de revistas como uma má idéia.
Muitos soldados têm "escrita casa" para a família e amigos e conseguiram obter as revistas de produção original feita por Beretta por meio de canais de volta. (As revistas originais de fábrica são de qualidade superior a qualquer outro que eu encontrei.) Relatórios têm sido extremamente positivos com o uso das revistas de estilo original. Os militares tem conhecimento suficiente para entender que as revistas e munições são as causas mais comuns de problemas de confiabilidade, e assim a sua compra de revistas que não são tão confiáveis ​​quanto as revistas de produção original é intrigante. Eles devem resolver isso indo de volta para a produção de revistas Beretta, ou pelo menos volta para os Mec-Gar produzido o mais rápido possível.
A controvérsia 9 milímetros:
Uma grande parte da hostilidade que visa a pistola M9 é o resultado de seu uso do cartucho 9mm. Os militares afirmaram que seus objetivos na busca por um novo padrão sidearm foram para melhorar a adequação, eficácia, confiabilidade, segurança e operacionais da arma sobre a pistolas de calibre 0,45 e 0,38 revólveres calibre então em uso. (NSIAD-89-59)
A eficácia é medida pelo alcance e precisão, o volume de fogo, a letalidade inerente e letalidade contra a armadura. De alguma forma, estudo dos militares sobre o tema da eficácia produziu um anúncio de que os 9mm rodada NATO foi mais preciso, tinham maior alcance e maior letalidade inerentemente E contra a armadura corporal do que a bala de calibre .45. (Há quem acreditar, e alguns que não.) O método utilizado para realmente alcançar esses resultados é uma combinação sombria de cálculos numéricos e não em dados científicos de hardcore bem como exames de gelatina. (PLRD-82-42) O alcance e precisão "testes" também parecem ter sido fraudada em favor da rodada 9 milímetros, fazendo as medições a 50 metros em vez de 25. (Pontos turísticos A pistola calibre .45 é só estavam regulamentadas para fora a 25 metros ...) É um fato bem conhecido e documentado que há muitos calibre .45 1911 automatics padrão que são capazes de disparar três "grupos de 50 metros, o que se quer saber como os militares tiveram a idéia maluca de que a bala calibre 45 não foi tão preciso em que vão. A idéia de que os 9mm OTAN rodada bola bate mais forte a 50 metros do que a rodada de calibre .45 também é risível. Certamente uma arma 9 milímetros que pode conter 15 rounds na revista e uma na câmara tem capacidade maior do que o 7 +1 pistola calibre 0,45 rodada, mas se ou não que se traduz em uma maior "poder de fogo" é uma questão de debate. (É melhor bater em alguém com 3 rodadas insignificante, ou uma redonda que bate-los para fora da luta?)
As outras medidas são igualmente discutível. É a M9 mais confiável do que a pistola calibre 45? Bem, considerando que muitas das pistolas de calibre 0,45 no inventário tinha sido em uso por meio da Segunda Guerra Mundial, Coréia e Vietnã, e que mais de 100.000 deles já não eram reparadas de acordo com números dos militares, estou certo de que uma pistola de marca nova, que não tinha sofreu todos os abusos que poderiam de fato ser um pouco mais confiável. (O fato de que o 0,45 sobreviveu a três guerras desagradável e se tornou a arma favorita de muitos shooters militares e civis é uma prova de como uma arma boa ela é.)
É o mais seguro do que o M9 pistola calibre 45? A adição de um pino de disparo de segurança na pistola M9 não adiciona segurança deve ser a pistola caiu. O gatilho de ação longa e pesada dupla faz com que seja mais difícil de acidentalmente a arma de fogo por negligência, mas a maioria vai concordar que depender de um gatilho muito pesado, em vez de um treinamento adequado para manter a ocorrência de acidentes é uma má estratégia para a segurança. Também é possível argumentar que o gatilho DA pesado torna mais difícil acertar um alvo quando você precisa, aumentando as chances de perder uma ameaça em combate real e tornando um soldado menos seguro do que com o single de pistola de ação 1911. Para não mencionar que o mais fraco rodada 9 milímetros não seria tão eficaz em parar a ameaça que vem em você se você conseguiu batê-lo.
Outra possível razão mencionada para adoção da pistola nove milímetros foi o de torná-lo mais amigável para shooter pequena estatura e soldados do sexo feminino. Enquanto a 9 milímetros é mais fácil de controlar do que o recuo da pistola de grande calibre .45, o Beretta 92 plataforma é ergonomicamente menos do que ideal para aqueles atiradores menores. A grande aderência e alcançar gatilho longa são piores para os atiradores menor do que a pistola 1911 com seu disparador de curto e aperto estreito.
 
Beretta M9 e Holster Bianchi
Conclusões
A pistola Beretta M9/92 tem sido em serviço com os nossos militares há quase 20 anos agora. Após os problemas de produção documentado anteriormente foram abordados, a pistola provou ser mecanicamente firme e confiável, duradoura centenas de milhares de rodadas com pouca dificuldade desde a manutenção adequada foi fornecido. Um redesign no bloco de travamento da pistola M9 fez alterações para que parte importante menos freqüentes, fazendo com que a pistola de exigir menos tempo ainda na bancada de armeiro é.
O M9 é longe da arma perfeita militar. A munição 9 milímetros bola que nossas tropas devem usar na M9 é um triste homem-rolha pela maioria das contas. (Alguns discordam) A M9 em si é uma arma grande e pesado para o seu trabalho. (Há outras pistolas 9 milímetros que prendem mais munição e pesar uma fração do que o M9 faz.) A grande aderência da M9 é muito grande para muitos atiradores, eo gatilho ação pesada dupla dificulta a precisão. O competidor M9 Beretta, nos julgamentos, o Sig-Sauer P226, sofre com os obstáculos da mesma pull calibre, tamanho e gatilho. Muitas das queixas contra a M9 são o resultado do que é: Uma pistola nove milímetros de ação dupla. Qualquer pistola 9 milímetros DA receberia o mesmo tratamento.
Após os erros iniciais foram trabalhados, a pistola M9-se uma arma de combate de confiança comprovada. Mais atual / ex-militares que tive o privilégio de falar com este artigo enquanto pesquisava manifestaram a sua satisfação geral com a confiabilidade da arma, enquanto citando as preocupações sobre o tamanho, peso e calibre que eu já mencionei. Ele já salvou a vida de soldados, policiais e civis ao longo dos anos.Permanece até hoje uma arma precisa e confiável adequado para defesa pessoal.Poucos sidearms militar provaram ser tão bom como a arma M9 acabou por ser, apesar das fofocas loja de armas em contrário.
Ele permanece digno de nossa consideração ao escolher uma arma.